sábado, 13 de janeiro de 2018

Let Yourself Go

Não sou muito de partilhar letras de músicas, mas ultimamente, existe uma música com a qual me tenho identificado bastante.  Isto porquê? Porque simplesmente já não posso ver o meu chefe à frente. Ele é de tal maneira desconfiado e estúpido que quando decide dar-me na cabeça, eu já não faço ideia por onde me enfiar. Se faço é porque faço, se não faço é porque não faço e eu começo a desconfiar seriamente que o homem sofre de TPM ou então está a entrar na menopausa, porque ninguém o entende. Nem dá para entender.

Isto chega a um ponto que só me falta levar as mãos aos ouvidos e começar a dizer lalalalalalalalalala só para não ter que o ouvir, mas como não posso fazer isso, começa a ser evidente o meu revirar de olhos. Começa a ser tão evidente porque o homem já topou que eu lhe reviro os olhos e ainda me pergunta  "Está-me a ouvir, Emma?" e eu prontinha para lhe mandar um peidinho à cara, respondo-lhe com toda a formalidade "Sim, sim chefe!".

E por isso mesmo, esta música poderia ter sido uma carta escrita por mim para o meu adorado chefe, porque ele em vez de confiar nos seus trabalhadores, passa a vida a reclamar do que não está feito e, pior do que isso, reclama do que já está feito, ou seja, nunca está nada bem feito para o homem. O homem não relaxa e por isso mesmo, não pára de reclamar, porque tem de existir sempre alguma coisa para reclamar.



Shut your mouth 'cause you're talking too much
And I don't give a damn anyway
You always seem to be stepping in shit
And all you really do is complain
Hitch a ride, tell'em all you like
Small minds tend to think a like

Shut your mouth 'cause you're talking too much
And I don't give a fuck anyway

Let yourself go, Let yourself go, Let yourself go
Let yourself go,, Let yourself go, Let yourself go,
Let yourself go, Let yourself go, Let yourself go,
Let yourself go, Let yourself go, Let yourself go,

Gotta let me go, gotta let it go
Gotta let me go, gotta let it go

Cut the crap 'cause you're screaming in my ear
And you're taking up all of the space
You're really testing my patience again
And I'd rather get punched in the face
You're getting on my every last nerve
Everything you've said I've already heard

I'm sick to death of your every last breath
And I don't give a fuck anyway

Let yourself go, Let yourself go, Let yourself go
Let yourself go,, Let yourself go, Let yourself go,
Let yourself go, Let yourself go, Let yourself go,
Let yourself go, Let yourself go, Let yourself go,

Gotta let me go, gotta let it go
Gotta let me go, gotta let it go
Gotta let me go, gotta let it go
Gotta let me go, gotta let it go

Always fuck fuckin' with my head now
Always fuck fuckin' with my head now
Always fuck fuckin' with my head now
Always fuck fuckin' with my head and I gotta let it go

Let yourself go, Let yourself go, Let yourself go
Let yourself go,, Let yourself go, Let yourself go,
Let yourself go, Let yourself go, Let yourself go,
Let yourself go, Let yourself go, Let yourself go,

Gotta let me go, gotta let it go
Gotta let me go, gotta let it go
Gotta let me go, gotta let it go
Gotta let me go, gotta let it go

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Estudo científico



Este ano decidi fazer uma experiência e tirei a minha data de nascimento do facebook, só para ver no que aquilo dava. E para meu espanto, as primeiras três pessoas a ligar ou a mandar mensagem para me dar os parabéns (excluindo os meus pais) foram o meu namorado e os meus dois ex-namorados. 

Portanto, está provado cientificamente que só pessoas com quem tenho/tive relações sexuais é que se lembram do meu aniversário. Como é óbvio, não vou andar a ter relações sexuais com mais ninguém só para se lembrarem de mim. 

E pronto, hoje foi só isto que me apeteceu dizer aqui. Tenham uma boa semana!

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Desabafo


Nunca fui uma pessoa depressiva. Claro que já tive momentos menos bons e momentos maus, como toda a gente, mas sempre fui uma pessoa de cabeça erguida, pronta a cagar de alto nas coisas más e seguir em frente com boa disposição. 

Ultimamente, isso não me tem acontecido. Não me perguntem o que é, porque eu não sei explicar. Alguma coisa dentro de mim não está bem. Alguma coisa dentro de mim quer sair, quer explodir, mas nem eu sei o que é. Eu quero resolver o que está mal, mas a pergunta mais básica que é "O que é que está mal?", eu não faço a mais puta de ideia como a responder. E isso está-me a deixar maluca!

Sinto-me cansada psicologicamente, o que me leva a pensar, por vezes, que o que está mal na minha vida é a minha relação com o meu namorado. Devido aos nossos trabalhos, apenas conseguimos estar juntos uma ou duas vezes por semana, o que me leva a questionar "Estará a nossa relação bem?", "Comunicamos o suficiente para a nossa relação estar saudável?", mas depois quando estou com ele reparo que a nossa relação está mais do que bem. Claro que podia estar ainda melhor se conseguíssemos ter mais tempo juntos, mas sim, a nossa relação é saudável. Aliás, ele é o ponto alto da minha semana. Quando estou com ele, esqueço-me que alguma coisa está mal na minha vida. Apesar de desabafar muito com ele, desabafo em tom de brincadeira, porque quando estou com ele, tudo parece muito menos doloroso. 

Portanto, não é a nossa relação que vai mal. A nossa relação é até um tratamento para o que vai mal na minha vida. Mas afinal o que vai mal na minha vida? Dou-me mal com os meus pais? Não, eu tenho uma relação óptima com os meus pais. Dou-me mal com os meus amigos? É verdade que perdi alguns "amigos" no ano passado, o que pode ter feito com que me fosse um bocado a baixo, mas também não acredito que seja isso que está dentro de mim para sair. Então só me resta o trabalho.

O trabalho vai bem? Não vai mal, mas podia ir bastante melhor. E acho que é isso que tem deixado a minha sanidade mental em baixo de forma. É a questão de querer responder curto e grosso ao meu chefe e não poder, porque lá está, é meu chefe. Eu sempre fui uma pessoa bastante envergonhada e bastante tímida, no entanto, nunca deixei que fizessem de mim gato sapato, porque sempre disse aquilo que tinha a dizer no momento certo. Mas neste caso é diferente. 

Porque o homem é estúpido, que é, com toda a certeza. E às vezes fala para mim como se tivesse a falar com alguém da família dele, mas eu não me deixo ficar, eu respondo. Aquilo que tenho a dizer, eu digo. E ele fica de burro comigo. Mas eu acho que aquilo que me anda a faltar mesmo à séria, é aquilo que 98% da população mundial gostava de fazer, que é olhar nos olhos do meu chefe, espetar o meu dedo do meio mesmo em cima da cana do nariz dele e dizer-lhe "Vai à merda seu filho duma g'anda puta!". Virar costas e vir-me embora.

Eu acho que depois desse episódio, eu conseguia recuperar a minha sanidade mental, mas lá está, o mercado de trabalho não é fácil e eu estou a passar por aquilo que toda a gente sente que é ter que engolir muito sapo.

Estarei eu a entrar em depressão por causa dum cabrão que aí anda? Recuso-me!

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

É este ano


Este ano não me escapa. Este ano, vou ter uma agenda Mr. Wonderful. Dê por onde der, este ano tenho que ter uma. Estou à espera que o meu namorado me ofereça no Natal, porque se não me oferecer no Natal eu vou a correr comprá-la.

Para o ano de 2017, investi nesta agenda e adorei a experiência. São agendas que se tornam um bocado caras, mas valem muito a pena. Eu pelo menos adorei. E a que quero este ano tem mais ou menos a mesma estrutura, portanto de certeza que não me vou arrepender.

Têm dois tipos de agenda: a semanal e a diária. Pessoalmente, prefiro a semanal, porque não tenho nada que me preencha assim tanto os dias para ter necessidade da agenda diária. Mas só de olhar para o raio da agenda, ela transborda fofura, portanto conto os dias até ter uma... e já não faltam assim tantos. 😍