sábado, 28 de maio de 2016

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Não, é não!


Epá, detesto quando eu digo um redondo NÂO às pessoas e mesmo assim as pessoas interpretam isso como se lhes desse liberdade para continuar a insistir. Eu não lido muito bem com insistências, porque me provoca nervos a sério, mas não é daqueles nervos de começar a gaguejar... é daqueles nervos que me fazem apertar as minhas próprias mãos senão ainda espeto uma chapada a alguém. Eu disse NÂO, quantas vezes é que tenho de repetir?

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Economia


Foi das piores cadeiras que tive no curso. Detestei tudo nela, apesar do professor até ser um porreiraço, mas toda a matéria daquela cadeira era uma treta para mim. Detestei do início ao fim passando por todos os altos e baixos do semestre e não houve uma única matéria que me fizesse interessar por aquilo.

Agora puseram-me numa formação onde só se fala nisso. Está-se mesmo a ver que vou desistir da formação por causa de me ocupar muito tempo que não posso dispensar por causa das minhas aulas, mas fico tão aliviada de me ver livre daquilo. Detesto economia!

domingo, 22 de maio de 2016

Sonhar


Ultimamente, tenho sonhado muito e como é uma altura onde acarreto bastantes preocupações, passo a vida a sonhar com essas mesmas preocupações, ou seja, nem a dormir estou descansada. Sinto que estou a dormir bem, porque tenho dormido ferrada, mas tenho constantemente a cabeça a mil à hora com todas as preocupações que tenho no meu dia a dia.

Eu só quero que tudo isto passe e dormir descansada sem que nenhuma preocupação me assalte os sonhos.

sexta-feira, 20 de maio de 2016

A semana


Esta semana não foi nada fácil. Foram os dias todos a sair de casa de manhãzinha e entrar em casa já de noite escura. E a partir de agora vai ser sempre assim até Agosto (ai que até me dá qualquer coisinha má). O que vale é que é fim de semana e (por incrível que pareça) posso descansar um bocado. Bom fim de semana a todos!

domingo, 15 de maio de 2016

Preconceito em todo o lado


No outro dia, estava a falar com uma mulher aqui da terra e ela estava-se a queixar que não conseguia encontrar uns sapatos para desenrascar um casamento que vai ter brevemente. Aquilo que encontra é sempre tudo muito caro e se é para simplesmente desenrascar um dia, eu também sou da opinião que não vale a pena estar a dar assim tanto dinheiro por uns simples sapatos. Ora, se é para desenrascar e se é para ser barato, perguntei na minha inocência se já tinha percorrido as lojas dos chineses que se encontram coisas bastantes giras a preços acessíveis (apesar de já não estarem assim tão baratos como antigamente, mas também a qualidade aumentou um bocado). À qual ela me respondeu "Eu não entro nessas lojas!". Eu não entendo este preconceito nas pessoas!

Nunca tive muito este preconceito. Eu entro nas lojas e espreito roupa, malas e sapatos e se por acaso gostar e tiver dinheiro para comprar, compro sem qualquer tipo de problemas. Mas já por várias vezes, vou com gente que olha para as montras e diz "Olha aquele vestido tão giro, mas é uma loja de chineses, portanto não vou entrar!"


ET vs. Humano


Há gente tão estúpida à face da terra que chego a pensar que são alguma espécie de ET's que vieram para dar cabo da terra, mas depois, por outro lado, penso que quem é ET sou eu, porque não consigo entender as acções dos humanos, por muito que tente.

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Já ando velha para isto


Sinto que estou a ficar velha quando vou sair com os meus amigos pela noite fora e por volta das 2 da manhã começo a pensar que estava bem era em casa a ver as minhas séries. É que já nem gosto de beber aquela bebida alcoólica... prefiro antes uma groselhazita.

terça-feira, 10 de maio de 2016

Chuva ide-vos embora, sim?


Já estou fartinha de tanta chuva. Não há meio de ela ir embora? É hábito chover nesta altura do ano, mas não tanto tempo como tem sido. Nem com tanto volume de água a cair do céu. Isto é sinal de que o Verão vai ser bastante quente ou é sinal de que vamos ter mais lagos para ir nadar.

Mas chuva, vá lá, vai-te lá embora que tenho que fazer!


segunda-feira, 9 de maio de 2016

Ouvir os mais velhos


Sempre tive a tendência de absorver os conselhos que os mais velhos nos dão. Afinal de contas, eles até podem ter menos escolaridade que eu (ou não), mas a escola da vida ensina muito! E nisso eles já são doutorados e eu nem para lá caminho.

Mas depois há aqueles que me vêm tentar dar lições de moral, quando não têm moral nenhuma para falar. Sim, eu sou jovem! Sim, eu AINDA conheço pouco da vida, mas lá porque conheço pouco da vida, não quer dizer que já não domine aquilo que aprendi até hoje!

Sim, eu sou novinha, mas sei muito bem que 1+1=2 e não me venham cá com histórias que isso não é bem assim. É assim, sim senhor, não me venham cá complicar aquilo que é muito simples. Há pessoas que só gostam de complicar e insistem e continuam a insistir até que ouvem um berro de uma pessoa mais nova e acabam por amuar. 

Se há coisa que fica mesmo mal e que para mim perde toda a credibilidade, é ver uma pessoa adulta, que é dona da sua vida, amuar por ouvir um grito por causa duma birra que estava a fazer. Se é adulto não tem nada que estar a fazer birra e era o que mais me faltava andar a fazer de mãe de pessoas mais velhas do que eu.

domingo, 8 de maio de 2016

Praia

Está tudo com vontade de ir até à praia?




sábado, 7 de maio de 2016

Colégios com contrato de associação

Agora anda aí a polémica que os colégios com contrato de associação vão deixar de ser financiados já no próximo ano lectivo. Milhares de alunos, ex-alunos e os respectivos pais andam a fazer manifestações e cordões humanos contra essa decisão. 

Eu fui estudante num destes colégios e vejo todos os meus amigos e ex-colegas a encher o facebook com posts super profundos sobre as boas memórias que trazem daquele colégio. Saem de casa e vão participar em todas as manifestações e vigílias que são organizadas. Todos levam cartazes que dizem "Aqui fui feliz!" ou "Esta é/foi a minha segunda casa" ou coisas assim do género.

E depois fartam-se de me chatear para eu ir também, para ir também defender o colégio, mas há o problema de que eu não quero defender o colégio

Eu lá não fui feliz! 
Foi minha casa, porque assim "fui obrigada"! 
Não me ensinou a ser mais e melhor!
Ensinou-me, sim, que quem sabe dar graxa tem tudo o que quer!
Nunca me fez sentir em família!
Não gostei de lá andar!
Estava mortinha para me vir embora de lá!
Não houve mais do que dois professores a ficarem gravados no meu coração!
Passei uma má fase psicológica da minha vida (não, não sofri de bullying)!

E agora querem que vá defender uma coisa que me fez tão mal? Eu defendo mas é o caralho! 

Eu passei lá uma má fase da minha vida, mas não foi por causa dos meus colegas e amigos, foi mesmo por causa dos professores que sempre me rebaixaram, porque eu era uma pessoa calada. Sim, isto é verdade! Eu nunca fui de dar graxa aos queridos professores e por isso mesmo fui sempre prejudicada nas notas com o argumento de que era "calada". Fiz o meu secundário numa escola pública e nunca tive nenhuma queixa de que era "calada" e nunca me senti prejudicada nas notas, porque era "calada"! E aqueles queridos finórios de nariz empinado diziam à minha mãe que era "calada" e por isso mesmo não tinha interesse na aula. Tem muita lógica este argumento não tem?

A minha mãe ouviu este argumento tanta vez que acabou por dar "uma carga de porrada cerebral" ao meu Director de Turma e ele teve que ouvir e não piar. 

A única coisa que me preocupa nesta situação é a quantidade de pessoal (docente e não docente) que vai ser despedido e não tem culpa nenhuma. Essa seria a única razão que me faria mover para uma manifestação dessas, mas longe de mim ir gritar que ali fui feliz!

sexta-feira, 6 de maio de 2016

Frustrações da vida? Nah, só mesmo vontade de mandar uma pessoa à merda

Vou contar uma coisa que contado ninguém acredita, mas eu juro que é verdade. Desde Janeiro que ando envolvida numa actividade cultural aqui da minha terra e é uma coisa que dá muito trabalho, aliás como em tudo na vida. 

Mas como em todo o lado, há aqueles que trabalham e há aqueles que ficam à espera das coisas aparecerem feitas e depois desculpam-se sempre com a quantidade de trabalho que a vida deles tem. Ora então, há uma certa rapariga que é a tesoureira, mas eu não faço a mais pequena ideia que raio de tesoureira é que foram arranjar que nunca fez uma única conta. Aliás, eu nem sei sequer se ela sabe contar. Anda com um cartão da conta para trás e para a frente, mas pede sempre a outra pessoa para fazer as operações de multibanco, porque ela não se "lembra" do PIN do seu cartão. 

Não fui a única a topar a situação e também não fui a única a chamá-la a atenção que isto não é só dar a cara, também é preciso muito trabalho por trás. Ela continuou com as suas desculpas e chegaram a ser tantas que deixaram de ter coerência entre si. Deixaram de fazer sentido e por vezes contradiziam-se. 

Um exemplo: A rapariga foi operada a um sinal e não podia fazer esforços... até aí tudo bem, nada contra. Foi feita uma reunião, onde ela apareceu três dias depois da operação sempre com o paleio que não podia fazer esforços. Claro que não se vai pôr a rapariga a fazer esforços nenhuns, mas passado mais uns dias, foi feita uma outra reunião para se dividirem as tarefas para o próximo evento, à qual a rapariga não apareceu. Qual é que foi a desculpa? Não podia conduzir, porque não podia fazer esforços! E como é que ela tinha ido à reunião anterior (que por acaso foi logo três dias depois da operação)? Obviamente que foi no seu carro a conduzir! Estão a perceber a coerência das desculpas? Logo após a operação, não houve problemas, mas quando a reunião já era sobre dividir trabalho, já era muito esforço para estar presente.

Isto tudo para dizer o quê? Já são tantas pessoas a chamá-la a atenção que a situação começa a descontrolar e uma pessoa já não consegue manter a calma, porque tentar fazer as pessoas de parvas é de uma infantilidade impossível e depois em vez de se manter uma conversa civilizada, vai haver uma discussão nada bonita.

Essa discussão aconteceu e ela atirou à cara das pessoas "Eu só não desisto disto, porque está aqui muito trabalho meu investido, senão podem crer que saía por aquela porta e já não voltava!". Depois de ouvir isto, tive que me conter muito para não me partir a rir. Ela diz que está muito trabalho dela ali investido e querem saber que trabalho é que ela teve?

Foi-lhe dada uma única tarefa para passar uma simples lista, que estava escrita à mão, para computador, só por uma questão de organização e apresentação de documentos. A tarefa era só isto e teve o descaramento de aparecer sem aquilo feito, porquê? Porque não teve tempo de perder uns 5 minutos ao computador para escrever meia dúzia de nomes, mas teve tempo de perder 5 minutos a fazer a tabela. Juro que isto é verdade! Fez a tabela, mas não escreveu os nomes. Juro por tudo que o trabalho que ela teve foi fazer uma tabela e imprimi-la. Se fez a tabela, porque é que não escreveu o raio dos nomes na tabela? Há coisas que não percebo mesmo. E o trabalho dela que ali está investido é isso: uma tabela. Ela não desiste, porque está ali uma tabela que ela fez com todo o amor e carinho, porque se não fosse o raio da tabela...

Eu sei que hoje me alonguei mais um bocado do que o habitual, mas precisava de deitar cá para fora estas frustrações.

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Férias


Eu preciso é de férias, acho que nunca estive tão ansiosa para estar de férias. Estou farta de andar aqui atarefada para todo o lado e mais algum. Não gosto desta sensação de andar constantemente numa correria. O problema é que as minhas férias só vêm em Agosto e só de pensar nisso, parece que entro num estado de agonia.

terça-feira, 3 de maio de 2016

Tempos mortos


Estão a ver aqueles tempos mortos que não há grande coisa para fazer? Aproveito para avançar no meu projecto? Aproveito para estudar um bocado? Aproveito para organizar a minha vida escolar? Claro que não, vou ver o Chocolate com Pimenta que anda a repetir na Tv Globo.

domingo, 1 de maio de 2016

E os exames aproximam-se


E com tudo o que se passa na minha vida, nem dou pelo tempo a passar. Começou hoje um novo mês que chegou num instante e eu ainda com tanta coisa para fazer. Só de pensar no meu projecto que ainda vai tão atrasado até fico mal disposta do estômago. Mais um bocadinho e lá estou eu em época de exames. Pode ser que ganhe uma viagem qualquer e vá de férias com o meu namorado para descansar o cérebro, assim que acabe as aulas.