quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Mais um ano ao lado dele


Parabéns a mim e ao meu maravilhoso namorado por completarmos mais um aninho juntos. Gosto dele mais e mais a cada dia que passa e cada vez sou mais feliz por perceber que tenho ao meu lado um homem lindo por dentro e por fora. Com ele sou feliz e com ele percebo que o amor faz todo os sentido. 

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Detesto


Detesto o painel do Blogger agora. Detesto não ter a lista de leitura logo à vista e de não ter aquelas letrinhas laranjas a dizer que tenho comentários novos.😡

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Velhices

Reparo que estou a ficar velha:

1. Quando me sento com as pernas cruzadas durante um minuto ou dois e quando me levanto tenho que ficar um tempo à espera que o sangue volte a correr normalmente nas minhas pernas;

2. Quando me estou a pentear e já vejo mais do que um cabelo branco;

3. Quando vejo adolescentes a falar aos berros e a divertirem-se uns com os outros e penso "Que barulheira!";

4. Quando acabo de comer batatas cozidas com bacalhau e penso "Que bela refeição!";

5. Quando me dizem para ir beber um copo e eu pondero "Vou sair ou fico ao quentinho a ver uma série?".

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Contra a inveja e mau olhado

Eu estive a fazer umas pesquisas, porque como devem calcular, eu não percebo rigorosamente nada sobre este assunto. 

A planta que falei no post de ontem é uma Comigo-Ninguém-Pode, também conhecida como Cana-Muda ou Cana-dos Mudos. Trata-se de uma planta de folha verde com formas irregulares brancas ou amarelas. É uma linda planta de interior, mas não é muito indicada para quem tem crianças pequenas ou animais, uma vez que se trata de uma planta tóxica e por isso mesmo não é muito boa ideia mastigar uma folha destas. Esta planta, quando mastigada, pode provocar inchaço, irritação e dor na língua. Por causa da inflamação criada nas vias respiratórias, pode-se perder temporariamente a fala, daí se chamar Cana-dos-Mudos.

Se não houver risco de haver alguém a querer comer a planta, deve-se colocar esta planta ao pé da entrada de casa para espantar energias negativas como a inveja e o mau-olhado. Eu tenho a minha mesmo ao lado da porta de entrada.

Acho piada que estamos fartos de rodar o vaso,
mas as folhas da planta vão sempre tender para cima da porta,
precisamente como está na imagem.

Depois existe outra planta chamada Espada-de-São-Jorge ou Língua-de-Sogra. São também plantas neutralizadoras de energias negativas e também devem ser usadas perto da entrada para neutralizar as más energias que passam pela porta. Eu tenho a minha mesmo à janela, assim quem passa na rua vê que aqui em casa não estamos para brincadeiras. 😝


Também existe a Arruda, também conhecida por espantar o mau-olhado, mas essa não a tenho cá em casa. É também uma planta medicinal, usando as suas folhas para fazer chá com efeito calmante. Não muito bom para grávidas, uma vez que é conhecido para tratamento de supressão da menstruação.


P.S.: Se alguém que perceba do assunto veja que eu estou para aqui a dizer altas barbaridades, por favor que me diga alguma coisa.

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Inveja


A minha mãe tem a chamada Planta da Inveja e diz que se as pessoas de fora sentirem inveja pela família daquela casa que a planta cresce para proteger a família dessa inveja. A verdade é que a planta já tem que ser mudada de vaso, porque já está a rebentar com o vaso onde está. Eu não sou muito de acreditar nestas coisas, mas que andam por aí muitos invejosos, isso é verdade!

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Vocês são contra ou a favor?

É um tema muito polémico hoje em dia e gostava de saber qual é a vossa opinião sobre o casamento entre pessoas Homo Sapiens 😆😆

Agora a falar a sério, eu às vezes tenho medo com tamanha ignorância que as pessoas têm, principalmente assim em pessoal mais novo. O pessoal mais velho, como viveram em tempos onde a escolaridade não era para toda a gente, mal ou bem, deixa-se passar, mas em pessoal jovem, sinceramente, não faço ideia o que raio é que andam a fazer na escola.


segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Factos aleatórios sobre mim

1. Sou uma pessoa muito magra (sempre fui).
2. As pessoas, com dor de cotovelo ou não, passam a vida a lembrar-me disso e eu não gosto.
3. Quase que cheguei a ter complexos com o meu corpo por causa das pessoas não se calarem sobre o assunto, mas eu quero que as pessoas se fodam, portanto sou muito feliz com o que eu tenho.
4. Apenas fico frustrada que as pessoas não compreendam que chamar magro a um magro, também pode magoar uma pessoa, assim como chamar gordo a um gordo. 
5. Tenho maminhas pequenas, mais uma vez, quero que as pessoas se fodam, quem não gosta, não olha.

6. Tive um namorado de quem gostava muito até começar com o mesmo paleio todos os dias de que devia engordar 10 kg.
7. Tive outro namorado que, da noite para o dia, lembrou-se que devia ter mamas maiores.
8. Foram esses dois namorados que me fizeram ter vergonha de estar nua à frente do meu próprio namorado.
9. O primeiro namorado que demonstrou não ter qualquer tipo de problemas com qualquer "defeito" do meu corpo foi o meu actual namorado.
10. A primeira pessoa a dar-me um orgasmo foi o meu actual namorado.

11. Foi giro atirar à cara do meu ex que nunca me tinha dado um orgasmo.
12. Não tenho qualquer tipo de problema em falar sobre a minha vida sexual (acho que já se notou).
13. Tenho amigos espectaculares, mas considero o meu namorado o meu melhor amigo.
14. A relação com o meu namorado começou casualmente de uma amizade colorida.
15. A nossa amizade colorida evoluiu para uma amizade mesmo muito boa e evoluiu para a relação amorosa que temos agora.

domingo, 20 de novembro de 2016

Desabafo

Com quase 26 anos de magreza que tenho em cima, ficaria completamente surpresa se alguém chegasse ao pé de mim e me dissesse "Estás mais gorda!". Como eu nunca estou mais gorda, o que dizem é "Estás mais magra!". Olha, obrigada! E novidades? 

O que me deixa frustrada nesta história, é que as pessoas nunca entendem que um magro também pode ter os seus complexos físicos. Levo sempre tudo para a brincadeira, porque entendo que as pessoas não dizem as coisas com intenção de magoar, mas cada vez que se referem a mim através da minha magreza, há sempre uma parte de mim (99%) que apetece pegar no objecto pesado mais próximo e treinar a minha pontaria. Mas há sempre aquele 1% dos pinguins de Madagáscar que é "Sorrir e acenar!".

Minha gente, eu não tenho anorexia, nem bulimia, nem anemia, nem coisas engraçadas acabadas em "-ia". Eu sou apenas uma pessoa magra! Parem de me dizer que sou magra! Oh, égua, já não vos posso ouvir! Eu sei que sou e agora? Também tenho cabelo preto e olhos castanhos, mas sobre isso ninguém me chateia. Se engordasse por cada vez que ouvisse algum comentário sobre a minha magreza, eu já estaria a apresentar o Preço Certo há uns valentes anos.

sábado, 19 de novembro de 2016

Irritações


Irrita-me profundamente quando me dizem "Tenho que falar contigo!" e eu pergunto do que se trata e as pessoas não dizem mais nada. Porque é que não podem falar logo ou pelo menos dizer do que se trata? Isso e quando estou no Facebook e recebo uma mensagem no chat a dizer "Podes falar?", eu digo que sim e a pessoa desaparece durante uma hora ou duas. Então, mas afinal não queria falar? Eu aturo gente tão chatinha.

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

16 and pregnant


Não sei se conhecem este programa, mas é um programa que dá na MTV de adolescentes que ficam grávidas e como é que lidam com a situação. Estava a ver o programa e estava a dar uma rapariga que decidiu dar a sua bebé para adopção. Não sei até que ponto conseguiria dar o meu bebé para adopção. Eu sei que poderia pesar os prós e contras e não poder dar o futuro ideal ao meu bebé, mas dar o meu bebé, acho que ia ser uma dor que me iria perseguir para o resto da vida. Mesmo sabendo que ele estaria numa família óptima que lhe dá todas as condições possíveis, mas deve haver uma parte de nós que morre.

Eu não sou mãe, mas sei lá, já é difícil só de ver uma mãe ter que dar o seu filho, nem quero imaginar se tivesse que ser eu. 

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Coisas do Natal


Neste Natal, serei a única que sente falta do tradicional:

"Bem vindos ao mundo encantado dos brinquedos onde há reis, princesas, dragões,
Heróis de banda desenhada, pulos, saltos e muitos trambolhões.
O mundo dos brinquedos é no continente onde tudo tem mais fantasia.
Brinquedos, brinquedos, eles são a nossa maior alegria!"

É que já fazia parte da tradição do Natal. A Popota é gira, mas não é a mesma coisa!

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Matemática


A Matemática sempre foi o meu ponto forte na escola. No entanto, nunca soube fazer contas de dividir com dois números. Foi um ano complicado para mim o meu 4º ano. Os meus amigos todos a fazerem as contas todas e eu a sentir-me burra.

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Já que gosto de ser do contra


Normalmente, está-se a semana toda ocupada e espera-se pelo fim de semana (ou folgas) para descansar. Eu sou ao contrário das outras pessoas. Passo a semana toda a descansar e espero pelo fim de semana para ficar ocupada. 
É verdade que passo a semana toda de bandulho para o ar a enviar currículos e a ver séries, mas quando chega o fim de semana... É desde Sexta à noite até Domingo à noite... sempre numa correria incrível. Só tenho pena de não ganhar dinheiro nenhum com esta trabalheira toda, senão era capaz de fazer isto a tempo inteiro. Há sempre muito stress para todo o lado, mas é um stress que compensa mesmo muito depois de se ver o resultado.

Aliás, eu estou a falar em stress, mas eu nem sou de stressar muito, sou mais de revirar os olhos ao ver o stress dos outros. Eu às vezes penso que sou mesmo má... sangue frio, como já me acusaram uma vez, mas isso são histórias para contar aqui um dia. Boa semana a todos!

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Modéstia à parte


Quando me pedem um favor, eu aceito as coisas e faço-as com gosto. Não as faço para receber coisas em troca, porque se não gostasse, não o fazia. Eu não peço nada em troca, mas um "obrigado" é sempre bem vindo. 

Mas, sinceramente, eu já estou tão habituada a não ser agradecida pelas coisas que já nem ligo. Porque, mais uma vez eu digo, faço as coisas por gosto, senão não as fazia. Sim, não ser agradecida magoa, mas ao menos olho para o que fiz e tenho muito orgulho do que fiz. Não quero saber se me vêm agradecer ou não.

O trabalho está lá, está feito e está óptimo (olha-me esta convencida)! É elogiado por todos e quem é que o fez? Ah, é verdade, fui eu! Sim, fiquei magoada, mas ao menos sinto-me orgulhosa daquilo que fiz. E a verdade é que se não me viessem pedir, eu não o teria feito! Mas fiz e agora chovem rosas para cima de mim? Claro que não, mas eu danço o tango na mesma!

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Já cheira a Natal

Fui só eu que me parti a rir com a nova publicidade da MEO? Já vi umas dez vezes e parto-me sempre a rir quando ele grita. Está brutal!


Demasiado tempo livre

Apercebo-me que tenho demasiado tempo livre, quando dou por mim a ver:

The Challenge Battle of The Exes

 Are You The One?



Ex On The Beach


É são programas cada um mais sem jeitinho do que o outro, mas durante o dia também não dá nada de jeito na televisão e ponho-me a ver estas coisas.

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

História de embalar muito convincente


O dia acordou cinzento! Pudera, o Trump ganhou as eleições. Só tenho a dizer que se se decidirem começar a mandar bombas uns aos outros, ao menos que seja para cima dele, porque se alguma me vem cair aqui na minha rua, eu vou lá aos States e arranco-lhe o bico de pato à chapada. 

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Fotos de perfil


Estão a ver aquelas pessoas que metem uma fotografia do seu animal de estimação ou de uma outra coisa qualquer como foto de perfil do Facebook?

Acontece que eu não sou nada boa com nomes. Muitas vezes os meus amigos falam-me de alguém que eu nem desconfio quem seja, mas sei perfeitamente quem é a partir do momento em que vejo uma fotografia ou assim.

Ultimamente, tem-me acontecido muito, enviarem-me pedidos de amizade para o Facebook e lendo o nome, não parece estranho, mas quando vou a ver a fotografia, aparece-me um cão. Ah, assim sei perfeitamente quem é!

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Se calhar é demasiado, não?


Será que hoje em dia não sobrecarregam demasiado os putos com actividades extracurriculares em excesso? Fui contactada para dar explicações a uns putos e com certeza, aceitei. Estou com toda a disponibilidade possível para fazer isso à vontade. O problema apareceu, não no meu horário, mas no horário dos putos. Os putos simplesmente não têm horário para poder ter explicações. Isto porque nas horazinhas que têm livres, estão ocupados com actividades extracurriculares. 

Eu sei que essas actividades são importantes para o desenvolvimento dos putos, mas basta uma ou duas, não é preciso sobrecarregar o horário dos putos ao ponto de precisarem de explicações e não terem horário para as ter. É bom para eles terem essas actividades, mas não é lá muito bom terem o tempinho todo ocupado de Segunda a Sábado. Sim, até Sábado de manhã. Os putos nem ao fim de semana estão livres das actividades.

Eu, sinceramente, acho demasiado. E não, tenho muita pena, mas não posso disponibilizar o meu Sábado à tarde, porque é o único e repito, o ÚNICO dia da semana em que posso estar com o meu namorado.

domingo, 6 de novembro de 2016

Pizzas congeladas


Estão a ver aquelas pizzas congeladas? De vez em quando, gosto de as ter em casa para desenrascar uma refeição onde esteja sozinha e não me apeteça cozinhar. Eu gosto delas moles de forma a que sejam maleáveis para se poder comer confortavelmente com faca e garfo. O meu namorado gosta delas estaladiças para as poder comer com a mão. E depois tenho uma amiga minha que as adora rijas, mas mesmo rijas, ao ponto de se agarrar numa fatia e quase que dá para palitar os dentes com aquilo. E pronto, lembrei-me disto, porque comi uma pizza destas ao almoço.

sábado, 5 de novembro de 2016

Mundo das Bandas Desenhadas


Serei a única pessoa no mundo que está completamente farta de filmes e séries de super-heróis? Será que ainda não esgotaram as hipóteses todas de heróis? É que sinto que estão a espremer as bandas desenhadas de tal maneira que eu já nem posso olhar para elas. Eu sempre gostei de super-heróis e de repente, fiquei de tal maneira enjoada que cada filme que saia fico com a reacção "Epá, outro?

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Aproveitando a onda

Continuando na onda de falar mal dos vizinhos, lembrei-me de um outro episódio que tive com os meus vizinhos de cima que isto contado, ninguém acredita. 

Eles têm uma janela da cozinha virada para a frente do prédio. E no fim das refeições, toda a gente tem a tendência de sacudir a toalha por causa das migalhas. Eu por acaso tenho o hábito de a sacudir para dentro do lava-louça ou directamente para o lixo, mas eles não. É logo pela janela a baixo. E mais uma vez, têm a decência de reparar se alguém está a passar na rua? Claro que não!

Vinha eu a chegar a casa toda contente e cheia de fome porque era hora de almoço e eu ainda não tinha almoçado, quando sinto uma chuva esquisita na minha cabeça. Quando olhei para o chão, reparei que eram migalhas, mas não eram duas ou três, parecia que tinham estado a torturar o pão em cima da toalha. Como já não bastava a chuva de migalhas e de farinha em cima de mim, senti uma coisa fresca a passar-me pela orelha. Era nada mais, nada menos do que um pedaço de cebola. 

Eu sei que migalhas e um pedaço de cebola não são nada, mas eu naquele momento só consegui sentir nojo e o mais incrível é que não era nojo daquilo que tinha acabado de levar em cima, era nojo de ter uns vizinhos assim que não se preocupam com nada. Sorte tiveram eles por estar no 1º andar, porque se eu apanhasse à frente um deles naquele momento, eu juro que desatava à chapada.

É que eu tenho tanto nojo deles que quando passo por eles na rua só me apetece mandá-los à merda. Dá para reparar o quanto eu os adoro, não dá?

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Porque é que existem vizinhos?

Eu adoro a minha casa. É pequenina, jeitosinha e fofinha, mas tem um bruta de um defeito que eu não desejo a ninguém... Fica num prédio. Vivo num rés do chão num prédio pequeno que só tem 4 casas, mas basta a casa de cima para me tirar do sério. 

Enquanto arrumamos a casa, mantemos as janelas abertas e já por várias vezes, estou eu a arrumar o aspirador e os produtos do pó, quando a minha vizinha de cima decide sacudir os tapetes para cima da minha janela. É ver pêlos de gato e de cão e de sei lá mais o quê a entrarem-me pela janela dentro a voar. Ora, eu fico piursa com isso! Ao menos tinha a decência de reparar se a minha janela estava aberta ou não, porque da varanda dela dá para ver perfeitamente. Lá vou eu avisar a mulher que é nojento estar a pôr o lixo dela para dentro de minha casa e lá vou eu limpar e aspirar o quarto outra vez.

A mais recente nojice, é o filho ir de 5 em 5 minutos à varanda fumar e não despejar o cinzeiro nunca. E isto vai pela noite fora, dou por mim acordada às 5 da manhã, com a janela da varanda a abrir para ele ir fumar, mas deixa sempre o cinzeiro na varanda. Fazendo as contas, fumar de 5 em 5 minutos, durante as 24 horas do dia, isso dá um total de uma javardice de cinzeiro cheio de beatas de cigarro. Até aí, tudo bem, não tenho nada a ver com a javardice dele, mas tenho tudo a ver com isso quando o vento decide passar por ali e deixar o esterco todo no meu pátio. 

Enquanto era só o pátio, bastava passar uma vassoura e ninguém se chateava, até porque ninguém tem culpa de estar vento, mas a partir do momento que uma pessoa tem um estendal de roupa a enxugar e quando a vai apanhar, vê que a roupa está toda suja de cinza e de beatas em cima da roupa, aí o caldo fica entornado... mais uma vez.

Mas será que as pessoas não têm um pingo de bom senso? Será que as pessoas não reparam que não vivem sozinhas ali?  

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Curar a azia


No outro dia, disse por aqui que fiquei com azia depois de ter feito uma sesta depois do almoço. Passei o dia todo com o raio da azia, mas cheguei a um ponto em que já estava mesmo à rasca, porque me sentia toda a arder por dentro. Parecia que tinha bebido um shot de tequila, mas o efeito de ardor no esófago não passava. 

Não tinha nada em casa para fazer aliviar o efeito da azia, então fui bebendo água todo o dia para fazer passar o fresco pelo peito. Depois de jantar, nem um bocadinho de alívio senti na azia e estava mesmo a ficar aflita. Então fui pesquisar sobre curar a azia em casa e vi algures que comer uma torrada alivia a azia, porque anula os ácidos do estômago. 

Decidi ir experimentar e como era uma solução tão simples, mal não me ia fazer. Agora, não sei se foi efeito placebo ou não (e nem quero saber), a verdade é que a azia desapareceu depois daquela torradinha. Eu estava à espera que aliviasse um bocadinho, mas ela desapareceu por completo. Com uma simples torrada! Se tivesse pesquisado mais cedo, tinha comido a torrada mais cedo e escusava de ter andado o dia todo em agonia. 

Agora sinto-me uma curandeira quando aconselho toradas para a azia.

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Dia de Todos os Santos


Sabiam que a palavra "Halloween" é uma contracção da expressão "All Hallows Eve" que significa Véspera de Todos os Santos?

E pronto, hoje apeteceu-me vir dizer isto.