sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Aproveitando a onda

Continuando na onda de falar mal dos vizinhos, lembrei-me de um outro episódio que tive com os meus vizinhos de cima que isto contado, ninguém acredita. 

Eles têm uma janela da cozinha virada para a frente do prédio. E no fim das refeições, toda a gente tem a tendência de sacudir a toalha por causa das migalhas. Eu por acaso tenho o hábito de a sacudir para dentro do lava-louça ou directamente para o lixo, mas eles não. É logo pela janela a baixo. E mais uma vez, têm a decência de reparar se alguém está a passar na rua? Claro que não!

Vinha eu a chegar a casa toda contente e cheia de fome porque era hora de almoço e eu ainda não tinha almoçado, quando sinto uma chuva esquisita na minha cabeça. Quando olhei para o chão, reparei que eram migalhas, mas não eram duas ou três, parecia que tinham estado a torturar o pão em cima da toalha. Como já não bastava a chuva de migalhas e de farinha em cima de mim, senti uma coisa fresca a passar-me pela orelha. Era nada mais, nada menos do que um pedaço de cebola. 

Eu sei que migalhas e um pedaço de cebola não são nada, mas eu naquele momento só consegui sentir nojo e o mais incrível é que não era nojo daquilo que tinha acabado de levar em cima, era nojo de ter uns vizinhos assim que não se preocupam com nada. Sorte tiveram eles por estar no 1º andar, porque se eu apanhasse à frente um deles naquele momento, eu juro que desatava à chapada.

É que eu tenho tanto nojo deles que quando passo por eles na rua só me apetece mandá-los à merda. Dá para reparar o quanto eu os adoro, não dá?

4 comentários:

  1. ahahaha, desculpa mas não consegui conter o riso, esses vizinhos são demais não têm consciência!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não têm consciência mesmo nenhuma :o enervam-me bastante!

      Eliminar