quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Férias precisam-se, please!

Não, desta vez não me estou a queixar do trabalho. Desta vez estou-me mesmo a queixar da quantidade de falsidade que existe à minha volta. Estou mesmo a precisar tirar férias das pessoas, mandar tudo à merda e desaparecer por uns tempos. Obviamente que levava o meu namorado comigo, mas de resto, eu espetava mesmo tudo num poço. Epá, fartinha desta merda toda!

Ainda me dizem que tenho que ser mais aberta com as pessoas. Foda-se, juízo tenho eu em não dar confiança a ninguém. Eu sou uma pessoa desconfiada por natureza, se calhar até demais, mas mantenho-me sempre dentro dos limites, ou seja, não faço que essa desconfiança chegue ao ponto de ser ridícula, mas depois as merdas acontecem e eu penso para mim "Vês como tinhas razão?". 

Podem tentar fechar-me os olhos à vontade e se essa é a vossa intenção, eu vou dizer que sim senhor, tenho os olhos fechados, mas vou ficar sempre a espreitar. Sou novinha, mas a vida já me ensinou muita coisa e se calhar é por causa disso que sou como sou. E sabendo como sou, sei que vou mandar duas ou três caralhadas para o ar, vou dizer o que tenho a dizer às pessoas certas, porque não gosto de ficar com coisas encravadas na garganta e depois posso ir à minha vida à vontade.

Até lá, vou andar com uma dor de garganta do caralho, mas não faz mal, porque disfarça-se bem com uma constipação à mistura. O que eu não gosto nesta situação é que até ir falar com as pessoas certas, vai haver muito momento errado para falar, portanto eu vou esperar pelo momento certo, o que vai fazer com que eu seja cínica nos momentos errados. Coisa que eu detesto! Vou ter que morder a língua até não aguentar mais, só tenho medo de explodir num momento em que não deva.

Sem comentários:

Enviar um comentário