segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Defeitos aleatórios sobre mim

1. Não lido muito bem com a crítica. Se for construtiva, ouço até ao fim e penso sobre o assunto, mas quando me criticam numa de apontar o dedo, sou gaja para lhes arrancar o dedo à dentada.

2. Quando me irrito, torno-me demasiado sarcástica e esse sarcasmo torna-se proporcional à minha irritação, ou seja, quanto mais me irrito, mais sarcástica me torno. No entanto, à minha volta ninguém percebe que estou irritada, porque não tenho alterações físicas na minha expressão corporal.

3. Sou uma pessoa demasiado tímida. Apesar de já ser adulta e de já conseguir ter algum controlo sobre isso, ainda me faz mesmo muita impressão ter que ir falar com alguém que não conheço de lado nenhum, principalmente se for por telefone. Detesto ter que falar com alguém ao telefone que não sejam os meus mais chegados.

4. Sou demasiado teimosa (quem não?). Aprendi a controlar a minha teimosia, mas às vezes não consigo deixar de ser. Se não tiver a certeza daquilo que estou a dizer, deixo andar, mas fico com a pulga atrás da orelha. Mas se tiver para cima de 90% de certeza daquilo que digo, já não me calo mais.

sábado, 28 de janeiro de 2017

Vítimas #2

Lembrei-me duma pequena situação que tive há uns anitos com uma amiga minha. Para perceberem a situação, vou-vos contar um bocado sobre mim. Eu tenho a mania que sei fazer uns desenhitos, então de vez em quando faço uns biscates nessa área. Parecendo que não, dá sempre jeito uns trocozitos a mais no bolso. 

Essa minha amiga pensa que os desenhos se fazem em 5 minutos, então veio-me pedir para fazer um certo tipo de trabalho simples (pensava ela). Sabendo que estava em época de exames e que mal tinha tempo de dar um peidito bem dado, disse logo que não me comprometia a fazer o trabalho. Mas não disse um "Não" disfarçado. Disse mesmo "Nesta altura é impossível. Não dá!" Não estive com voltas desnecessárias para dizer que não o ia fazer. Acho que fui bem explícita até.

Ela acabou por cagar no meu "Não" e disse "Pronto, pensa lá no assunto e depois diz-me alguma coisa!" à qual eu respondi que não precisava de pensar em nada e que a minha resposta já estava dada. 

Isto passou-se e umas semanas mais tarde voltou-me a ligar:

Ela: Então Emma, como ficou sobre aquele desenho?
Eu: Aquele que te tinha dito que não ia fazer?
Ela: Epá, anda lá, eu disse ao pessoal que já tinha falado contigo e que tinhas dito que sim.
Eu: Pois, realmente falaste comigo, mas eu tinha dito que não, portanto não tinhas nada que dizer isso.
Ela: Anda lá, senão quem fica mal vista sou eu.
Eu: Desculpa, mas não posso fazer nada. Desemerda-te!

E como é óbvio, quem acabou por ficar mal vista no meio do pessoal fui eu e não ela. Isto porque ela foi dizer que eu tinha dito que sim e depois chegou lá a dizer que afinal eu tinha dito que não. Basicamente, eu é que não me decido, porque aqui digo uma coisa e ali digo outra, quando na verdade eu estou inocente no meu cantinho sem fazer mal a uma mosca.

Fora esta situação, aconteceram muitas outras situações bastante mais graves do que esta. E essa minha maravilhosa amiga, anda agora aí armada em vítima a dizer que eu ando a falar mal nas costas dela, quando mais frontal do que aquilo que eu já sou, é impossível. 

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Sabedoria de mãe


A minha mãe gosta muito de utilizar uma certa expressão com a qual me tenho identificado muito ultimamente. São umas meras palavras, mas fazem todo o sentido na minha cabeça. A expressão é, e passo a citar:

"Mostrar às putas quem é que são os cabrões!"

E pronto, por hoje é tudo!

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Vítimas


Se há gente por quem eu perco toda a minha consideração, por muito grande que seja, é gente que faz merda e depois tem a mania de se armar em vítima. Por muito vítima que se possa armar, as pessoas não são parvas nem burras. Era o que mais me faltava andar a aturar esta gente! 

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Confissões


Nunca vos aconteceu terem um amigo que consideram mesmo como um melhor amigo, mas estarem tão fartos dele que precisam de um tempo afastados dele?

Isso acontece-me constantemente. Uma vez fui de férias com uma amiga minha. Só nós as duas a curtir as férias, mas passámos uma semana e meia sempre ao pé uma da outra, porque dormíamos no mesmo quarto. Os únicos momentos do dia em que nos deixávamos de ver era quando cada uma ia tomar o seu banho. Atenção, não me interpretem mal, eu adorei aquelas férias e adoro a minha amiga, mas no fim dessa semana e meia, estava tão fartinha dela que passámos uns bons tempos sem dizer nada uma à outra.

Eu sou e sempre fui uma pessoa solitária e não digo isso como um defeito ou uma coisa má. Faz parte da minha personalidade. Adoro divertir-me e adoro estar com os meus amigos, mas adoro aquela parte do dia em que estou sozinha com o meu computador.

Então, acho que é por isso que de vez em quando necessito de um certo afastamento do meu grupo de amigos. Não porque eles me tenham feito algum mal ou que já não gosto deles, nada disso. Simplesmente, preciso daquele tempo só para mim. 

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Não podia estar mais de acordo


"A Primavera da vida é bonita de viver
Tão depressa o sol brilha como a seguir está a chover
Para mim, hoje é Janeiro, está um frio de rachar.
Parece que o mundo inteiro se uniu p'ra me tramar!"

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Falar é fácil


É impressionante como as pessoas criticam e criticam e voltam a criticar, mas agarrar nas coisas e fazer melhor está quieto. Eu nisso torno-me um bocado autoritária! Ninguém quer fazer nada, então lá vou eu agarrar nas coisas e trabalhar naquilo, mas depois está tudo a criticar sobre o trabalho que está feito e então eu armo-me um bocado em mandona nessas situações. Poderia até ficar melhor, mas só por causas das coisas, vai como eu fiz e acabou. "Queres melhor, fazes tu!" é o que normalmente respondo. 

É que existem críticas de todas as formas possíveis e imaginárias. 
- Está muito escuro!
- Está muito claro!
- Está muito apertado!
- Está muito largo!
- Está muito fino!
- Está muito grosso!
- Está muito para a esquerda!
- Está muito para a direita!
- Está muito para cima!
- Está muito para baixo!
- Não gosto de preto, prefiro branco!
- Não gosto de branco, prefiro preto!
- Não gosto deste padrão que tem os quadrados muito pequenos!
- Não gosto deste padrão que tem os quadrados muito grandes!

É que eu até já faço questão de fazer ouvidos moucos e a única coisa que sai dos meu lábios é "Ok!"

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Pasmaceira


Reparo que a minha vida está uma pasmaceira, quando chego ao computador toda contente para ver uma série e vejo que não tenho episódios nenhuns para ver. Tenham em atenção que eu não vejo só uma série ou duas, eu vejo uma quantidade absurda de séries e chegar aqui e não ter episódios nenhuns para ver, pode-se considerar um caso grave. 

Depois penso "Bem, vou ver então um filme!" e reparo também que já vi os filmes todos que queria ver e passo uma meia hora a tentar descobrir que filme vou ver. Acabo por desistir e passo o resto da tarde no YouTube a ver as coisas mais random que aparecem. Tenho que arranjar um hobbie urgentemente, senão esta vida de desempregada dá cabo de mim. 

domingo, 15 de janeiro de 2017

Sonhos


Esta noite fartei-me de dormir! Quando assim é, tenho noção de que me farto de sonhar. Li algures que se estivermos no meio de um daqueles sonhos que não sabemos distinguir se é realidade ou se estamos a sonhar, basta procurar as horas, porque no meio do sonho não vamos ser capazes de as encontrar. 

Então, no meio do meu sonho, eu tinha que dar os parabéns a um amigo meu a partir da meia noite e fui ver as horas para saber se já era hora de lhe mandar os parabéns. Consegui encontrar as horas e as horas marcavam as 01h02. De repente acordei, fui ver as horas e o meu telemóvel marcava as 13h02... achei curioso!

sábado, 14 de janeiro de 2017

Desgostos do tempo da escola


Lembrei-me que quando andava na escola, toda a gente tinha aquela mania de espetar o lápis na borracha, mas toda a gente mesmo fazia isso, até eu gostava de fazer isso. Mas eu tinha um problema maior... é que não gostava mesmo nada de ver a minha borracha mutilada.

Para vocês perceberem a situação, eu sempre fui de estimar muito as minhas coisas, mas mesmo muito. Tanto que ainda uso botas que usava no meu sétimo ano (sim, eu já tinha um pé grande no sétimo ano) e a tesoura que anda no meu estojo e uso sempre que preciso de uma tesoura, ainda é a tesoura que os meus pais me compraram quando eu fui para o primeiro ano.

Ou seja, eu uso calçado que tem uns 15 anos, material escolar com 20 anos (oh meu deus que estou velha) e olhando para essas coisas parecem coisas compradas no mês passado. 

Isto tudo para dizer o quê? Eu gostava muito da minha borracha limpa e bonita, mas havia sempre aqueles espertinhos que me pediam a borracha emprestada e quando ela voltava para mim, vinha cheia de varicela azul... ficava tão desgostosa!

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Vingança

Eu não sou uma pessoa vingativa até porque tenho mais do que fazer do que andar a engendrar planos e a manipular pessoas para ver uma certa pessoa (ou várias) ter o que merece. Acredito no carma e por isso mesmo não ligo às tais vinganças. Mas há gente que se esforça para me ver mal. Eu não sei e acreditem que continuo sem saber, que mal é que alguma vez fiz às tais pessoas, mas também não vou perguntar. Mas acreditem que se alguma vez o carma lhes bater à porta, só vou ter pena de não ter pipocas para assistir na primeira fila. 


quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Hiposcrisia


Estou rodeada de gente hipócrita! 
E por hoje é o único pensamento que tenho.

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Teimosias


Às vezes penso que tenho um problema de teimosia tão grande que chega a mexer com os meus sentimentos. Eu sempre fui de ir contra modas, mas mais por causa de não apreciar "do ter que gostar, porque toda a gente gosta". Eu sempre gostei de ser eu mesma e por isso mesmo, se não gosto de uma coisa, não é por toda a gente gostar que eu vou gostar também. 

Mas sinto que ultimamente, posso até estar entusiasmada em relação a uma coisa qualquer, mas se começar a ver gente a mais da mesma maneira que eu, parece que começa a perder a piada para mim. Isto acontece-me por exemplo com filmes. Sinto-me entusiasmada para ver certo filme, mas a partir do momento em que começo a ver toda a gente a falar que também quer bué ver o filme e sei lá mais o quê, parece que perde a piada.

Por exemplo, eu nunca fui muito fã do Leoardo Di Caprio, mas andava super entusiasmada para ver o filme em que ganhou o Oscar de melhor actor. Pois comecei a ver toda a gente a falar do filme para trás e para a frente e a verdade é que ainda não o vi e sinceramente, nem me apetece ver. Já ouvi as mais variadas opiniões sobre o filme, boas e más. Eu sei que só a partir do dia em que vir é que vou poder formar uma opinião minha, mas como foi um filme tão falado, não me apetece ver. Tão simples quanto isto, não me apetece ver! E para quem queria tanto ver, de repente, deixei de querer!

Eu tenho medo que isto se propague para coisas mais sérias, do género, toda a gente à minha volta tem o seu empregozinho, portanto eu não quero emprego nenhum 😆
Obviamente que estou a ser sarcástica, mas é basicamente uma birra destas. Toda a gente quer? Então eu não quero!

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Preguicite aguda


Quando o meu corpo me diz "Hoje, é dia de preguicite aguda!" não há grande coisa que eu possa fazer para contornar a situação. É que nem pôr umas calças de fato treino eu ponho, fico de pijama o dia todo.

domingo, 8 de janeiro de 2017

Tradição ou estupidez?


Antigamente, digo antigamente como se tivesse sido há muito tempo, mas antigamente, quando começaram a existir as mensagens à borla para a própria rede e mais não sei o quê, as mensagens deixavam de ser gratuitas nos dias 24 e 25 de Dezembro e nos dias 31 de Dezembro e 1 de Janeiro. Então para contornar a situação, o pessoal mandava as mensagens a desejar o bom natal e o bom ano novo nos dias anteriores a esses, ou seja, nos dias 23 e 30 de Dezembro.

Qual não é o meu espanto, visto que agora as mensagens já não se pagam nesses dias de natal e passagem de ano, que ainda tenho amigos meus a mandar as suas mensagens de bom natal no dia 23 e as de bom ano novo no dia 30. Porquê? Porque sim, porque se usa mandar no dia anterior 👍

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Vida de pobre


Estou tão habituada a ser pobre que um dia destes fui para o trabalho de carro e quando chegou à minha hora de sair, saí disparada para ir apanhar o autocarro. Lembrava-me lá que tinha um carro no estacionamento à minha espera para me levar para casa.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Odisseias


Já alguém experimentou aqueles packs de lazer do Odisseias? Eu gostava de experimentar mais o meu namorado um dia assim no spa, mas como nunca usei nada disto, não faço ideia como se usa, nem se é alguma coisa de jeito ou não. Alguém por aí que já tenha ouvido falar ou que já tenha usado? O que acham?

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

A falta que ele me faz


Às vezes, acordo sobressaltada com o coração a mil à hora e não faço a mais pequena ideia sobre o que estava a sonhar. Só sei que acordo com uma vontade enorme de dar um abraço gigante ao meu namorado e ficar ali com a cabeça encostada ao peito dele durante algum tempo.

terça-feira, 3 de janeiro de 2017