quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Desabafo


Nunca fui uma pessoa depressiva. Claro que já tive momentos menos bons e momentos maus, como toda a gente, mas sempre fui uma pessoa de cabeça erguida, pronta a cagar de alto nas coisas más e seguir em frente com boa disposição. 

Ultimamente, isso não me tem acontecido. Não me perguntem o que é, porque eu não sei explicar. Alguma coisa dentro de mim não está bem. Alguma coisa dentro de mim quer sair, quer explodir, mas nem eu sei o que é. Eu quero resolver o que está mal, mas a pergunta mais básica que é "O que é que está mal?", eu não faço a mais puta de ideia como a responder. E isso está-me a deixar maluca!

Sinto-me cansada psicologicamente, o que me leva a pensar, por vezes, que o que está mal na minha vida é a minha relação com o meu namorado. Devido aos nossos trabalhos, apenas conseguimos estar juntos uma ou duas vezes por semana, o que me leva a questionar "Estará a nossa relação bem?", "Comunicamos o suficiente para a nossa relação estar saudável?", mas depois quando estou com ele reparo que a nossa relação está mais do que bem. Claro que podia estar ainda melhor se conseguíssemos ter mais tempo juntos, mas sim, a nossa relação é saudável. Aliás, ele é o ponto alto da minha semana. Quando estou com ele, esqueço-me que alguma coisa está mal na minha vida. Apesar de desabafar muito com ele, desabafo em tom de brincadeira, porque quando estou com ele, tudo parece muito menos doloroso. 

Portanto, não é a nossa relação que vai mal. A nossa relação é até um tratamento para o que vai mal na minha vida. Mas afinal o que vai mal na minha vida? Dou-me mal com os meus pais? Não, eu tenho uma relação óptima com os meus pais. Dou-me mal com os meus amigos? É verdade que perdi alguns "amigos" no ano passado, o que pode ter feito com que me fosse um bocado a baixo, mas também não acredito que seja isso que está dentro de mim para sair. Então só me resta o trabalho.

O trabalho vai bem? Não vai mal, mas podia ir bastante melhor. E acho que é isso que tem deixado a minha sanidade mental em baixo de forma. É a questão de querer responder curto e grosso ao meu chefe e não poder, porque lá está, é meu chefe. Eu sempre fui uma pessoa bastante envergonhada e bastante tímida, no entanto, nunca deixei que fizessem de mim gato sapato, porque sempre disse aquilo que tinha a dizer no momento certo. Mas neste caso é diferente. 

Porque o homem é estúpido, que é, com toda a certeza. E às vezes fala para mim como se tivesse a falar com alguém da família dele, mas eu não me deixo ficar, eu respondo. Aquilo que tenho a dizer, eu digo. E ele fica de burro comigo. Mas eu acho que aquilo que me anda a faltar mesmo à séria, é aquilo que 98% da população mundial gostava de fazer, que é olhar nos olhos do meu chefe, espetar o meu dedo do meio mesmo em cima da cana do nariz dele e dizer-lhe "Vai à merda seu filho duma g'anda puta!". Virar costas e vir-me embora.

Eu acho que depois desse episódio, eu conseguia recuperar a minha sanidade mental, mas lá está, o mercado de trabalho não é fácil e eu estou a passar por aquilo que toda a gente sente que é ter que engolir muito sapo.

Estarei eu a entrar em depressão por causa dum cabrão que aí anda? Recuso-me!

4 comentários:

  1. Caaaaalma! Arranja uma almofada com uma foto do teu chefe e da-lhe uns soquinhos todos os dias! Vais ver que ajuda XD

    TheNotSoGirlyGirl // Instagram // Facebook

    ResponderEliminar
  2. Tenta manter a calma e ignorar o máximo que conseguires. Beijinhos*

    ResponderEliminar
  3. Já vou um bocado tarde, talvez, mas sinto que poderia ter sido eu a escrever isto.
    No meu caso, não é o meu chefe que é mau, mas o trabalho, ou a falta dele, está a pôr-me doida.
    Gostas do que fazes? O que ganhas vale o desconforto que sentes? Pensa nisso. Não te digo para o mandares à merda e vires embora, ainda que essa fosse a solução mais rápida, porque encontrar trabalho é mesmo difícil. Mas não deixes que esse te consuma: procura saídas, envia o currículo para tudo quanto te pareça preencher-te as medidas. Atiras o barro à parede. Vai que encontras melhor?!

    Pode ser um contentamento triste, mas já me serve de consolo saber que, por muito mau que tudo esteja, eu estou a tentar escapar ;)

    ResponderEliminar
  4. eu percebo como dizes por vezes temos de engolir cada sapão... tenta ignorar ao máximo e dá sempre o teu melhor!!
    bjs Mel

    ResponderEliminar